domingo, julho 01, 2007

PRÉMIO NACIONAL DE ARTESANATO


Óh p'ra ele coitadinho tão sózinho na exposição do Prémio Nacional de Artesanato na FIA.
Desta vez não recebi a menção honrosa do costume. Mas não é de ademirar: deviam ver a "linda coisa" que ganhou. Continuo sem compreender como é possível financiar concursos nacionais com juris destes. E se falo não é por mim pois haviam lá trabalhos muitissimo interessantes; É o caso do "Fato de dragão"em feltro da minha mestra Stefanie Köhne ou o teatro de robertos da Kerstin Thomas.
Não me apetece nada voltar a participar.........

3 comentários:

Ana do Carmo disse...

Só posso concordar com a sua revolta e desencanto.
Mais uma vez a incompetência,os compadrios, as amizades sociais falaram mais alto como sempre: O trabalho vencedor não tem qualquer categoria para o ter sido. É vulgar , isento de técnica , e pelo facilitismo de correr atras do imediatismo da moda, até o pouco de bom gosto que pudesse ter sai diminuido.
Mas não desista , querida amiga. Você e outros artistas,criativos, isentos, honestos e independentes destes circulos lamacentos, ainda são quem mantem a chama acesa do artesanato genuino em Portugal. Parabéns pelo seu trabalho e por o partilhar por todas nós, parabéns pela busca constante de novas soluções, pela técnica primorosa e qualidade das suas criações. Espero com curiosidade a peça que para o ano vai suceder á sua maravilhosa "conquistadora", que deveria ter sido na altura a grande vencedora do Prémio Nacional do certame,e a este engraçado e simpatico "môfo".

Maria Paula disse...

Carissima Ana
Não sei o que lhe responder, na verdade você disse tudo. Vê-se que sabe do que está a falar. Agradeço todas as suas amáveis palavras; por vezes precisamos delas.
Fico atenta aos seus comentários.
Bem haja.

Ana Cristina disse...

Agora compreendo muito coisa, sou dos Açores, ilha de S. Miguel, e concorri com uma peça artesanto moderno mala vitoriana em patchwork a minha área, no meu blog poderá encontrá-la ref. 25 refere-se a um lado da mala e ref. 26 ao outro lado da mala, foi a 1ª vez que concorri, não esperava ganhar, porque pensei vai aparecer peças espetaculares, quando o meu espanto, vi na internet uma peça premiada ... que quando a vi fiquei abismada, perplexa e aí fiquei muito indignada, e pensei logo que as coisas não funcionavam como eu pensava, até no artesanato também existe disto, pensava que era no só no futebol entre outras etc, levo o meu trabalho muito a sério como outros artesãos e isto desamima-me um bocado, sinto que para algumas entidades o artesanato é simplesmente usado para intersses de acasiões, só somos bons, para dizer aos outros que em Portugal se faz bom artesanato, mas internamento o sistema é bem ´diferente porque quando chega a hora da verdade, são escolhidos, os ....enfim e não os artesão que trabalham por amor à arte, porque como sabe hoje em dia pelo menos no meu caso, não chega para viver, mas sim pelo grande amor que tenho à minha arte, até pensei não vou concorrer mais, se é assim! Assim vemos o nosso artesanato entrar em descrétido, porque ganham peças, que de artesanato tem muito que se lhe diga.
Adoro os seus trabalhos são explendidos, criativos, originais, imaginativos, muitos, muitos e muitos parabéns.